Baixos: diferença entre captação ativa e passiva

Baixos: diferença entre captação ativa e passiva

Primeiramente: a preferência por captação ativa ou passiva é apenas questão de gosto. E não indicam superioridade ou inferioridade nos instrumentos.

Agora que você sabe disso, vamos aprender a diferenciar as captações:

A Captação Ativa é feita através de um circuito (alimentado por uma bateria 9 volts, posicionada geralmente nas “costas” do instrumento – a abertura da bateria é aquela parte preta de plástico, você já deve ter visto alguma vez) que submete o som a tratamento antes de enviar o resultado ao amplificador, aumentando a gama de possibilidades de tratamento e variação dos timbres.
A madeira do corpo apresenta pouquíssima influência no som final, já que o resultado da captação é em sua maior parte eletrônico do que orgânico.


A Captação Passiva em baixos é feita pelos captadores, que enviam a vibração das cordas do baixo diretamente ao amplificador, com o mínimo de tratamento eletrônico. Em baixos de captação passiva, a madeira do corpo do instrumento apresenta maior influência no timbre final, trazendo ao músico um som mais orgânico do que eletrônico.
O som dos baixos que apresentam captação ativa são mais naturais, produzindo sons mais “gordos” e limpos, perfeito para adeptos do “slapping”.

Confira no vídeo abaixo o Contra Baixo Sanders da Auburn Music, com captação passiva:

E então, conseguiu tirar sua dúvida?
Se você já for baixista conta pra gente: qual a captação de sua preferência?

Saiba mais!

Comments

comments